Novo Ano, Nova Esperança

Com o aproximar do final do ano surge no ar uma nova esperança que alimenta o alento para um novo recomeço, multiplicam-se os desejos, fazem-se balanços sobre o ano que está a terminar, traçam-se objetivos e metas que se pretendem alcançar no ano que se inicia. Mas será este o motor suficiente para a mudança?


Claro que não.

Esta transição a motivação extra e a euforia levam-nos a acreditar que seremos capazes de concretizar os desejos e os objetivos a que nos propusemos e, que o novo ano pode trazer à nossa vida as mudanças que tanto desejamos: novas oportunidades para fazermos diferente ou de aperfeiçoarmos o que já fazemos.


Passada a euforia do momento das doze badaladas e, muitas vezes, apenas ao fim de alguns dias já abandonamos as metas e objetivos que tínhamos definido. Ou porque nos deparamos com a dificuldade em os atingir (necessidade de maior esforço do que tínhamos pensado ou porque os objetivos são irrealistas), ou simplesmente pela dificuldade em lidar com as dificuldades e com a frustração quando os resultados não são imediatos ou não surgem no temo esperado e, é necessário manter o foco, o comprometimento e a persistência para se conseguir alcançar o que foi definido.


Como sabemos, os desejos por si só não nos mobilizam para fazermos diferente, são apenas uma vontade/uma intenção de o fazer, de alcançar determinado resultado, portanto o facto de o desejo estar lá, e de a esperança se adensar com a chegada do próximo ano não é suficiente para a mudança.

Mas, a esperança de que vai ser diferente, "ano novo, vida nova", alimenta e dá-nos a força para continuarmos a lutar pelo que queremos e por aquilo em que acreditamos. Abraçar os objetivos com outra garra é como se, com o virar do ano, nos enchêssemos

de coragem para o novo recomeço. É, portanto, um bom momento para avaliarmos se estamos realmente disponíveis para alterar padrões de comportamento na nossa vida, ou apenas queremos a mudança, e não estamos verdadeiramente comprometidos com as alterações que são necessárias para que esta mudança se concretize.


Para haver mudança é necessário haver coragem, persistência, vontade e comprometimento para experimentar, para fazer diferente, para falhar e voltar a tentar de novo.


Que o novo ano seja o início da mudança que tanto quer e deseja para a sua vida. Aproveite este recomeço de ano para se comprometer com o que tanto deseja.



Sílvia Campos

Psicóloga Clínica e da Saúde, Psicoterapeuta RUMO

If you are in an emergency situation, contact the competent authorities and institutions     IMEDIATE HELP

Useful links

contacts

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle

©2016-2020 rumo is a product by IFA. All rights reserved.