Por quê a tomada de decisão é precisa e preciosa?

Updated: Feb 21, 2020

Não sei como está a ser para ti mas, para mim, os dias têm voado. Entre um janeiro adormecido, despertam-se agora dias mais longos, acolhedores e tardes ensolaradas. A chegada do Carnaval aproxima dias de folia, de alegria e euforia. No meio de tanta agitação, paro e observo: como realmente estamos, entre afazeres profissionais, necessidades familiares ou deveres sociais?



Porque algumas coisas levam tempo e outras o tempo leva.

De outros tempos, em que se privilegiava a força muscular – a mão-de-obra – privilegia-se hoje a força mental – o foco é no cérebro e, de alguma forma, como se dissociado do corpo fosse. Estamos quase sempre a mil, distraídos ou "desligados-ligados", cansados. E, de outros tempos, ainda podem permanecer feridas, hábitos ou sintomas de outros mal-estares, de abuso ou sofrimento psicológico que ainda demarcam momentos como diários e presentes. E, nestes casos, para quem não está alinhado com as épocas de festa e folia, a estranheza, dúvida, sensação de não pertença ou vazio podem permanecer. Tomar certas decisões, mesmo as que parecem mais pequenas ou insignificantes, como sair ou não sair no Carnaval, pode ser esgotante, já que decidir envolve fatores como:


  • a incerteza, o desconhecimento sobre os fatos;

  • a complexidade dos vários fatores inter-relacionados a serem considerados;

  • a gestão das consequências e qual o impacto da decisão;

  • a criação de alternativas, mesmo com as suas incertezas e consequências;

  • as questões interpessoais, individuais de como cada pessoa reage/age.


É no dia-a-dia, com e nas pequenas coisas, que estimulam prazer e alegria, que podemos trabalhar para eventuais tomadas de decisão, mais importantes ou fundamentais, muitas vezes impulsionadoras de maior stress, ansiedade ou incerteza. Assim, podemos ir "cultivando o terreno" - que se quer fértil - para todas as oportunidades que possam surgir, diariamente, para fazer diferente.


O processo é complexo.

Os dados, as informações, os significados, os conhecimentos e a compreensão dos seus elementos, dependem das diferentes características individuais, influenciadas pelos vários contextos a que pertencemos. Pode ser que seja